Laboratório Citocenter

Exames

RUBEOLA PROVA DA AVIDEZ DE IGG

Material
Sangue
 
Palavras Chave
Rubeola
Avidez IgG
 
Jejum
Não necessário.
 
Condições
Soro.
 
Volume Mínimo
0,3 mL.
 
Volume Recomendável
0,5 mL.
 
Critérios de Rejeição
Amostra com hemólise acentuada.
Amostra com lipemia acentuada.
Amostra com fibrina.
Amostra coagulada.
 
Comentários
Doença viral de comportamento benigno, exceto em grávidas quando infecção aguda pode levar à Síndrome da Rubéola Congênita. Na infecção primária IgM torna-se positivo a partir de 1 a 3 dias após o início da doença, sendo detectável de 2 a 12 meses.
Reações falso- positivas para IgM podem ocorrer em pacientes com mononucleose infecciosa, infecções por parvovírus e coxsakievírus B. A IgG torna-se positiva a partir de 3 a 4 dias após o início dos sintomas, permanecendo reagente indefinidamente. IgG de baixa avidez está presente por até 3 meses, sendo que a partir de então pode ser detectado IgG de alta avidez.
Histórico de sorologia positiva anterior à infecção, seguido de IgG positivo com elevação de 4 vezes ou mais no título da segunda amostra, sugere reinfecção. Neste caso, IgM pode estar presente, assim como gG de alta avidez. Nos casos de Rubéola congênita, cerca de 20% dos infectados têm IgM negativo no primeiro mês de vida. IgG materna pode estar presente por mais de 6 meses. Nesse caso, a IgG avidez não tem utilidade pois pode se permanecer com baixa avidez por até 3 anos na Rubéola congênita. Pacientes vacinados apresentam IgG positivo e IgM negativo após 3 meses, sendo o IgG de alta avidez.
O índice de soroconversão após a vacina é de 95%. Fonte do valor de referência: Bula do fabricante – EUROIMMUN.

Sinonímia

RUBAVIDG ; RUBEOLA PROVA DA AVIDEZ DE IGG

Informações Adicionais

Prazo de Entrega

10 Dias

Matarial

Soro Quantidade: 1 ml