Laboratório Citocenter

Exames

CURVA GLICEMICA

                                                                                                               
PALAVRAS CHAVE
Glicemia apos dextrosol, GTT,
75 gramas de glicose anidra ou 82,5 gramas de dextrosol
TTG, TTGO
Curva Glicêmica
COTG
Provas funcionais
Curva Glicemia
Tempos mais Comuns:                      
2 horas: 0, 30, 60, 120 minutos (4 dosagens)
3 horas: 0, 30, 60, 120 e 180 minutos (5 dosagens)
4 horas: 0, 30, 60, 120, 180, e 240 minutos (6 dosagens)
5 horas: 0, 30, 60, 120, 180, 240, e 300 minutos (7 dosagens)
 
**Os tempos poderão ser alterados de acordo com solicitação médica, assim sendo, OBRIGATÓRIO conferir o pedido antes da coleta.
 
MATERIAL
PLASMA FLUORETADO
 
MEIO(S) DE COLETA
Tubo com fluoreto (cinza)
 
INSTRUÇÕES DE PREPARO
Bebida alcoólica: A abstinência é desejável nas 24 horas que antecedem o teste.
Jejum: Jejum obrigatório de 8 horas.
Em caso de crianças, seguir orientação médica. ou intervalo entre as mamadas.
Coletar amostra basal e administrar glicose conforme quantidades a seguir:
Adulto: 75 g de glicose em solução já preparada.
Criança: 1,75 g⁄Kg até 75 gramas.
Os tempos devem ser coletados de acordo com a solicitação médica.
                                                
INSTRUÇÕES DE COLETA
-Dextrose ingerido no tempo de 5 minutos. Em caso de vomitar a curva será cancelada devendo agendar novo dia para realização do exame.
Não é permitida a ingestão de água, alimentos ou outros líquidos durante o exame.
Durante o exame é necessário que o paciente permaneça sentado( Na Unidade) e não fume
– Colher a glicose em jejum , administrar o destrosol conforme orientaçoes.
– Em seguida realisar a coleta nos tempos descritos.
– Manter o paciente em repouso.
– Não realizar outro tipo de curva simultaneamente, respeitar o intervalo de 48 horas.
– Anotar no campo observação a quantidade em gramas de destrosol  administrado.
 
 
 
EXAMES
Pós sobrecarga – Gestante Screening
-DOSE A SER ADMINISTRADA: 50g de dextrose em solução já preparada
TEMPOS PARA COLETA: 0`e 60`
 
TOTG ⁄ Curva Glicêmica
-DOSE A SER ADMINISTRADA: 100g de dextrose em solução já preparada
TEMPOS PARA COLETA: 0`, 60`, 120 e 180`
 

TOTG ⁄ Curva Glicêmica
-DOSE A SER ADMINISTRADA: 75g de dextrose, em solução já preparada
TEMPOS PARA COLETA: 0`, 60`e 120` para gestantes
 

TOTG⁄Curva Glicêmica – ADULTO– (homem e mulher)
-DOSE A SER ADMINISTRADA: 75g de dextrose em solução já preparada
TEMPOS PARA COLETA: 0` e 120`
 
TOTG⁄Curva Glicêmica – CRIANÇAS
1. O primeiro passo e saber quantas gramas serão administradas:
 
DOSE A SER ADMINISTRADA:1,75g X peso da criança.
Exemplo: Criança 20 Kg
                 1,75 X 20 = 35 gramas de dextrose.
 
2. o segundo passo e saber quanto de volume vou ofertar para a criança:
Sempre olhar o volume da garrafa, ex uma garrafa de 50 g em 300 ml.
Aplicar regra de 3.
50 gramas em 300 ml, quantos ml devo adiministra para ter 35 gramas?
 
50g ———————–300ml
35g————————X
 
X=210ml
 
Ou seja na garrafa de 300 ml com 50g de glicose, deve ser ofertado a criança de 20kg um volume de 210ml.
 
Quantidade máxima de dextrose a ser ingerida é 75g
Exemplo: Criança acima de 43k pode ingerir a garrafinha completa:
1,75 x 43 = 75,25 gramas
 
TEMPOS PARA COLETA: 0` e 120`
 
 
INTERPRETAÇÃO
Em jejum, os níveis de açúcar no sangue são controlados pelo fígado, que garante a sua manutenção dentro dos limites exatos. Essa forma rápida e precisa de controlar a glicose não contrasta com o aumento rápido do açúcar no sangue, que ocorre durante a ingestão de carboidratos. A queda de glicose no sangue para um nível crítico (aproximadamente 2,5 mM) conduz a disfunção do sistema nervoso central. Tal se manifesta num estado de hipoglicemia, caracterizado por fraqueza muscular, problemas de coordenação e confusão mental. Uma nova redução nos níveis de glucose no sangue conduz à coma hipoglicêmico. Concentrações de glicose no sangue revelam flutuações intra-individuais dependentes da atividade muscular e do intervalo de tempo desde a ingestão de alimentos. Estas flutuações são ainda maiores quando há descontrole, tal como ocorre em vários estados patológicos nos quais a glucose no sangue pode ser elevada (hiperglicemia) ou reduzida (hipoglicemia). A hiperglicemia ocorre com mais frequência como resultado de uma insuficiência na quantidade ou eficácia da insulina, uma condição conhecida por diabetes mellitus. Esta doença é caracterizada pela subida da glicose no sangue a ponto de ultrapassar o limiar renal e o açúcar surgir na urina (glicosúria). A medição da glicose no sangue é utilizada como ensaio de rastreio da diabetes mellitus, quando existe suspeita de hiperglicemia; monitorização de terapia na diabetes mellitus; avaliação do metabolismo dos carboidratos, por exemplo, na diabetes durante a gestação; hepatite aguda; pancreatite aguda e doença de Addison. A hipoglicemia está associada a uma gama de condições patológicas nas quais se incluem a síndrome de insuficiência respiratória no recém-nascido, toxemia da gravidez, defeitos congênitos enzimáticos, síndrome de Reye, ingestão de álcool, disfunção hepática, tumores pancreáticos produtores de insulina (insulinomas), anticorpos de insulina, neoplasmas não pancreáticos, septicemia e insuficiência renal crônica.  .
 
 

Sinonímia

CGLICEMICA ; CURVA GLICEMICA

Informações Adicionais

Prazo de Entrega

1 Dias

Matarial