Laboratório Citocenter

Exames

CULTURA AUTOMATIZADA DIVERSOS

Material
Diversos.
 
SINONIMO
Cultura automatizada
Concentração Inibitoria Minima (MIC)
Cultura com antibiograma automatizado
Antibiograma com MIC
 
 
Instruções:
Informar se o paciente está ou esteve recentemente em uso de antimicrobianos.
É aconselhável que se aguarde 07 dias após a utilização de antibióticos para a realização do exame ou conforme orientação do médico.
Líquidos corporais (líquido pleural, líquido ascítico ou peritoneal, líquido sinovial, líquido pericárdico, líquido amniótico, biliar) não são colhidos no laboratorio.
Lentes de Contato:
Nos casos de cultura de lente de contato a mesma não será devolvida após o processamento.
Importante:
Não serão realizadas culturas em amostras de soro fisiológico ou em produtos utilizados para limpeza e armazenamento de lentes de contato.
Escarro: a coleta de escarro deve ser feita em casa. . Colher preferencialmente de manhã ao se levantar, antes da higiene oral e do desjejum.
Lavar várias vezes a boca com água pura, gargarejando e bochechando abundantemente.
Fazer várias vezes inspirações profundas e tossir varias vezes procurando obter o material do fundo do peito.
Recolher este material no frasco fornecido pelo laboratório, fechando-o logo após a coleta.
É muito importante que o escarro não seja confundido e misturado com saliva ou com secreções do nariz. . Enviar o mais rápido possível.
Esperma: realização da Coleta:
Nas dependências do laboratório. (consultar os horários das lojas que estarão em funcionamento).
Não necessita de abstenção ⁄ abstinência de ejaculação.
A forma de coleta do material é por masturbação, sem que haja perda do material, diretamente no frasco estéril, não utilizar preservativos ou coito interrompido, lavar mãos e genitália antes da coleta.
Não utilizar qualquer tipo de lubrificante, nem mesmo saliva ou preservativos.
Coletas de secreção genital feminina interna (vagina, fundo de saco vaginal, colo uterino), pode-se urinar e tomar banho.
No período anterior à coleta, atenção para os critérios abaixo:
Não fazer uso de anti-sépticos ou medicações tópicas (aguardar 48 horas após o término).
Não manter relação sexual nas ultimas 24 horas.
Não estar menstruada (aguardar 48 horas após o término).
Não usar ducha ginecológica ou iodo (em exames citológicos ou ginecológicos) no local (aguardar 24 horas). Não realizamos coleta endocervical em grávidas e virgens.
As coletas endocervicais em gestantes só podem ser colhidas no consultório médico.
Não tomar banho e não urinar quando a coleta for em genitália externa (secreção vulvar por exemplo) ou em caso de crianças.
Coletas uretrais: . Vir para a coleta preferencialmente pela manhã sem urinar, ou estar sem urinar há pelo menos 4 horas.
Coleta de secreção oral:
Não escovar os dentes preferencialmente (aguardar pelo menos 1 hora antes da coleta)
Não usar anti-séptico bucal no dia da coleta
Jejum alimentar desejável de pelo menos duas horas (para se evitar vômito).
Swab nasal ou axilar: a cultura será direcionada para a pesquisa de Staphylococcus aureus resistente à Oxacilina.
Quando se tratar de lesão, punção dos seios paranasais, ou outra condição clínica, deve ser colocada no campo de observação e a descrição do material dever conforme exemplo.
Ex: Lesão no septo nasal, lesão descamativa na axila.
Swab anal: a cultura será direcionada para a pesquisa de Enterococcus resistente à Vancomicina.
Caso o pedido seja a cultura para enteropatógenos, o exame a ser realizado no swab anal é a coprocultura.
Caso a solicitação médica seja a pesquisa de Streptococcus beta hemolítico do grupo B (S. agalactiae) em gestantes, o exame a ser realizado é a cultura seletiva para Streptococcus grupo B.
Caso o pedido seja cultura de vigilância para enterobactérias resistentes aos carbapenêmicos, o exame específico deve ser solicitado.
No caso de secreção anal com suspeita clínica de proctite, a amostra deve ser identificada corretamente e a suspeita clínica registrada no campo observação do exame.
Se não houver a informação da suspeita clínica, o exame será direcionado à pesquisa de Enterococcus resistente à Vancomicina.
No caso de lesão anal suspeita de Síndrome de Fournier identificar a amostra como Lesão e a suspeita clínica deve ser registrada no campo observação do exame.
Fragmento de tecido (biópsias):
Enviar em frasco estéril em temperatura ambiente. Para evitar ressecamento, o médico pode adicionar pequena quantidade de solução salina (soro fisiológico) estéril logo após a coleta.
Não colocar fragmentos de tecidos dentro do Swab com Stuart ou Amies.
Secreção em ouvido: coleta deve ser realizada pelo médico.
Raspado de lesões de pele, unha, couro cabeludo:
Não utilizar pomadas e cremes comuns (aguardar 24 horas após o término) Não utilizar Esmalte (aguardar 3 dias após o término).
Não proceder a limpeza das unhas em manicure ou pedicure (aguardar 3 dias).
Não tomar banho no dia da coleta.
Não lavar o couro cabeludo e região da barba no dia da coleta.
Para região dos pés, orientar o paciente a lavar e secar os pés no dia anterior a coleta e ir ao laboratório com calçado fechado.
Sempre que possível, informar a suspeita médica para direcionar melhor a pesquisa.
Não realizamos cultura de córnea, recebemos o material caso já esteja inoculado no meio de cultura.
Exames via convênio:
É obrigatória a apresentação do pedido médico, da carteira de identidade oficial do (a) cliente e a apresentação de eventuais outros documentos exigidos pelo convênio.
Jejum
Não é necessário.
 
MATERIAL PARA ANALISE:
 
Aspirado traqueal.
Escarro.
Esperma .
Fragmento de tecido (biópsia).
Fragmento ósseo.
Lavado brônquico.
Lente de contato.
Lesões abertas (feridas superficiais, furúnculos, úlceras, fístulas, abscessos drenados, mordidas e picadas de animais, úlceras de decúbito).
Líquidos corporais (pleural, ascítico ou peritoneal, sinovial, pericárdico, amniótico, biliar), exceto líquor (mnemônico específico para este tipo de material).
Ponta de cateter (apenas lojas HP e laboratórios de BH e região metropolitana) – Punção de linfonodos e abscessos fechados.
Raspado de lesões de pele, unha, couro cabeludo.
Secreção conjuntival.
Secreção de nasofaringe.
Secreção de orofaringe.
Secreção de ouvido.
Secreção de sítio de inserção de cateter .
Secreção mamária.
Secreção nasal .
Secreções genitais (vaginal, endocervical, uretral).
Urina 1º jato (apenas lojas HP).
Urina após massagem prostática (apenas lojas HP).
Outros materiais poderão ser analisados após a devida avaliação.
 
COLETA
Aspirado traqueal e lavado brônquico:
Coleta realizada através de procedimento médico.
O aspirado obtido através da sonda de aspiração deve ser enviado a fresco.
Coletar em frasco estéril de preferência com sistema de sucção acoplado ao frasco e enviar o mais rápido possível.
Obs.: Serão recusadas amostras enviadas em stuart ou em cânulas.
 
Líquidos corporais (pleural, ascítico ou peritoneal, sinovial, pericárdico, amniótico, biliar); fragmento de tecidos (biópsias), punção de linfonodos e abscessos fechados:
Coleta realizada através de procedimento médico.
 
Escarro expectorado:
Colher idealmente de 5 a 10 mL em 2 amostras colhidas em dias consecutivos.
Colher preferencialmente em sala aberta e bem ventilada.
Colher preferencialmente pela manhã, ao se levantar e antes do desjejum.
Lavar várias vezes a boca com água pura, gargarejando e bochechando abundantemente.
Qualquer secreção nasal ou saliva, deve ser eliminada.
Fazer várias inspirações profundas e tossir várias vezes, procurando obter o material do fundo do peito.
 

Escarro induzido:
Lavar vigorosamente toda a boca com uma escova de dentes e salina a 0,85% por 5 a 10 minutos, não usar pasta dental.
Fazer nebulização com salina hipertônica a 3%.
A inalação profunda desta salina resultará na acumulação osmótica de fluido e na irritação da árvore brônquica, com subsequente tosse e expectoração do conteúdo bronco-alveolar.
 
Esperma:
Solicitar ao cliente que urine imediatamente antes da coleta do esperma.
A forma de coleta do material é por masturbação, sem que haja perda do material.
Colher o material diretamente no frasco estéril.
Não colher em preservativos, não usar lubrificantes (inclusive saliva) e não colher através de coito interrompido (relação sexual interrompida).
Antes da coleta, urinar e higienizar as mãos e o pênis usando água e sabão, distendendo todo o prepúcio.
Enxaguar abundantemente com água e secar o pênis cuidadosamente com toalha limpa.
Verificar se o frasco está corretamente vedado.
O transporte deverá garantir que não haja vazamento da amostra.
 

Lesões abertas (feridas, furúnculos, úlceras, fístulas, abscessos drenados, mordidas e picadas de animais, úlceras de decúbito):
Proceder à antissepsia das bordas da lesão com soro fisiológico estéril, se possível, repetir a limpeza novamente.
Coletar a amostra mais profunda da lesão utilizando, preferencialmente, uma seringa e agulha. Se não for possível a coleta com seringa, utilizar swab.
Não tocar nas bordas da lesão.
Caso tenha formação de crostas de cicatrização, coletar o material embaixo da crosta com a utilização do swab.
Após a coleta, inocular o swab em meio de transporte.
 

Lesões de abscessos fechados ou nódulos:
Proceder à antissepsia com soro fisiológico estéril e puncionar a lesão com agulha e seringa (os abscessos devem ser coletados por médicos ou equipes de enfermagem, não devem ser coletados no laboratório).
Se não for obtido material suficiente, deve-se coletar o material após perfuração utilizando swab.
No caso de amostras escassas, pode ser enviada a amostra em swab com Stuart ou Amies, mas neste caso, enviar também uma lâmina.
 
Lesões por queimadura:
Coleta realizada por médicos ou equipe de enfermagem, deve-se realizar a coleta da biópsia de tecido profundo.
A coleta deve ser realizada após desbridamento e descontaminação com soro fisiológico estéril.
Raspado de lesões de pele, unha, couro cabeludo:
Lesões secas e descamativas: raspar delicadamente nas bordas das lesões, com o auxílio de um bisturi e recolher o material em frasco estéril.
Para materiais escassos, enviar em tubo com salina estéril.
 
Secreção conjuntival:
As secreções oculares são normalmente escassas e o paciente deverá ser instruído a não lavar a região dos olhos antes da coleta.
Se a secreção for abundante, evitar a coleta superficial.
Nos demais casos, pedir ao paciente que olhe para cima, abaixe a pálpebra inferior e, usando um swab pequeno, colher dessa região (fundo de saco conjuntival).
Colher do olho especificado pelo médico. Quando não for especificado, colher separadamente de ambos os olhos afetados e identificar os swabs (O.D. e O.E.).
Se apenas um olho estiver afetado colher somente dele.
Inserir o swab no meio de transporte Stuart ou Amies logo após a coleta.
 
Secreção nasal:
Coletar com o auxílio de um swab, o qual deve ser inoculado em meio de transporte imediatamente após a coleta.
Secreção de nasofaringe:
Coleta realizada através de procedimento médico.
Amostra deve ser inoculada em meio de transporte Stuart ou Amies imediatamente após a coleta.
 
Secreção de orofaringe:
Colocar luvas e máscara facial protetora.
Colher, preferencialmente, antes do desjejum e da higiene oral. Usando foco de luz, abaixar a língua do paciente. Introduzir o swab diretamente na área da coleta, evitando tocá-lo em outras partes da boca.
Inserir swab no meio de transporte Stuart ou Amies imediatamente após a coleta.
 
Secreção de ouvido:
Não coletamos secreção em ouvido, devendo esta ser realizada pelo médico.
Secreção vaginal:
Evitar colher o material que flui para a vulva pois, normalmente, as estruturas estão degeneradas e há grande possibilidade de contaminação.
Retirar o excesso de secreção do introito vaginal.
Após inserir o espéculo, retirar o excesso de muco cervical com um swab de algodão e desprezar.
Inserir novo swab e coletar a amostra no fundo de saco vaginal e da parede da vagina (amostra vaginal).
Inocular em meio de transporte.
 
Secreção endocervical:
Antes inserir o espéculo, certificar-se de que a paciente não é virgem ou não está grávida.
Passar o espéculo, localizar o colo uterino e, após a retirada do muco cervical, colher a amostra no canal endocervical com o auxílio de um swab.
Após a coleta, inocular o swab no meio de transporte.
 

Secreção uretral:
Introduzir o swab uretral 3 a 4 cm nos homens e 1 a 2 cm nos casos de mulheres, colher a secreção e inocular no meio de transporte.
Nunca colher o material que emerge espontaneamente, pois as estruturas estão degeneradas, devido a atividade enzimática.
Para maior sensibilidade no diagnóstico de infecções por Neisseria gonorrhoeae, sugerimos o cadastro do exame GRAM⁄DIV, para este material.
 
Ponta de cateter:
Deve ser coletado segundo a padronização de Maki (5 cm da inserção no paciente) e enviado em frasco estéril.
Amostra recebida apenas de laboratórios conveniados de Belo Horizonte e região metropolitana.
Obs.: Amostras de secreções coletadas diretamente do cateter e enviadas em swab não são adequadas para o processamento.
 
Secreção do sítio de inserção do cateter:
Limpar a superfície da pele dos debris e coletar o pus do tecido profundo utilizando swab estéril. Inserir o swab no meio de transporte Stuart ou Amies imediatamente após a coleta.
Volume Mínimo
Aspirado traqueal: 3 ml.
Escarro: 3 ml.
Esperma: 3 ml.
Lesões abertas (feridas, furúnculos, úlceras, fístulas, abscessos drenados, mordidas e picadas de animais, úlceras de decúbito): 1 swab
Lavado brônquico e outros líquidos corporais: 1 a 3 ml.
Ponta de cateter: 5 cm
Punção de linfonodos e abscessos fechados: 1 ml.
Secreções em geral coletadas em swab: 1 swab – Urina 1º jato: 10 ml.
 
Volume Recomendável
Aspirado traqueal: 5 a 10 ml.
Escarro: 5 a 10 ml.
Esperma: todo o volume coletado
Lesões abertas (feridas, furúnculos, úlceras, fístulas, abscessos drenados, mordidas e picadas de animais, úlceras de decúbito): 1 swab
Lavado brônquico e outros líquidos corporais: 5 a 10 ml.
Ponta de cateter: 5 cm
Punção de linfonodos e abscessos fechados: todo volume coletado.
Secreções em geral coletadas em swab: 1 swab
Urina 1º jato: 10 a 20 ml.
 
Conservação:
Aspirado traqueal, lavado brônquico, miniBAL: enviar em frasco estéril, refrigerado entre 2 e 8 ºC o mais rápido possível.
Prazo máximo: 24 horas. Obs.: Serão recusadas amostras enviadas em swab com Stuart ou Amies ou em cânulas.
Escarro: enviar em frasco estéril, refrigerado entre 2 e 8 ºC o mais rápido possível. Prazo máximo de 2 dias.
Esperma: enviar em frasco estéril, refrigerado entre 2 e 8 ºC, o mais rápido possível. Prazo máximo de 2 dias.
Fragmento de tecido (biópsias): frasco estéril com salina ou soro fisiológico estéril, em temperatura ambiente, o mais rápido possível. Prazo máximo: 24 horas. Obs.: Dependendo do microrganismo presente, prazos superiores a 2 horas podem ser prejudiciais ao exame.
Lente de contato: enviar frasco com soro fisiológico estéril, refrigerado entre 2 e 8 ºC, por até 2 dias.
Lesões abertas (feridas, furúnculos, úlceras, fístulas, abscessos drenados, mordidas e picadas de animais, úlceras de decúbito): enviar em meio de transporte Stuart ou Amies, em temperatura ambiente, preferencialmente no mesmo dia da coleta. Prazo máximo de 48 horas.
Líquidos corporais (sinovial, pleural, ascítico ou peritoneal, pericárdico, amniótico, biliar): enviar entre 2 e 8 ºC o mais rápido possível. Prazo máximo: 24 horas. Obs.: Serão recusadas amostras enviadas em swab com Stuart ou Amies.
Ponta de cateter: enviar em frasco estéril, refrigerado entre 2 e 8 ºC, em no máximo 08 horas após a coleta.
Punção de linfonodos e abscessos fechados: enviar em frasco estéril, refrigerado entre 2 e 8 ºC, o mais rápido possível. No caso de amostras escassas, pode ser enviada a amostra em swab com Stuart ou Amies, mas neste caso deve ser enviada também uma lâmina.
Prazo máximo: 24 horas. – Raspado de lesões de pelo, unha, couro cabeludo (lesões secas e descamativas): enviar em frasco ou tubo estéril, em temperatura ambiente. No caso de materiais escassos, o envio pode ser feito em salina estéril, refrigerado entre 2 e 8ºC. Prazo máximo: 24 horas.
Secreções diversas (conjuntival, nasal, nasofaringe, orofaringe, secreção de ouvido, secreção mamária, secreções genitais e secreções do sítio de inserção do cateter): enviar em meio de transporte Stuart ou Amies, em temperatura ambiente, preferencialmente no mesmo dia da coleta. Prazo máximo de 48 horas.
Fragmento ósseo: Enviar em frasco estéril, refrigerado entre 2 e 8 ºC, o mais rápido possível. Prazo máximo de 24 horas.
Interferentes
Uso de antimicrobianos previamente à coleta da amostra.
Anexos
Tutorial Culturas Bacterianas – Edição Atualizada 09.2022.pdf Visualizar
Questionário
Lojas Hermes Pardini: preencher questionário para secreções.
Critérios de Rejeição
Swabs enviados a seco quando o envio em meio de transporte Stuart ou Amies é obrigatório.
Amostras de urina primeiro jato em laminocultivo ou tubos de ácido bórico.
Amostras enviadas fora do prazo de conservação.
Amostras enviadas em recipientes não estéreis.
Amostras de cânulas não são adequadas para processamento e serão rejeitadas.
Amostras de cateter, aspirado traqueal e líquidos corporais coletados em swab com ou sem meios de transporte.

Sinonímia

CULTAUDV ; CULTURA AUTOMATIZADA DIVERSOS ; CULTURA DIVERSOS AUTOMATIZADA

Informações Adicionais

Prazo de Entrega

8 Dias

Matarial

Diversos