Laboratório Citocenter

Exames

ACIDO HOMOGENTISICO PESQUISA

PALAVRAS CHAVES
Alcaptonúria, Pesquisa
Alcaptona, Pesquisa
 
ATENDIMENTO
Sem restrições. Em todas as unidades.
 
CONDIÇÕES
– Urina recente. Colher urina diretamente no frasco estéril fornecido pelo laboratório. Manter a amostra refrigerada.
VOLUME RECOMENDÁVEL
Colher 30 mL.
 
TEMPO DE JEJUM
Jejum não obrigatório.
 
COLETA
– Evitar o contato da urina com o ar, após a coleta fechar o frasco
rapidamente.
 
INTERFERENTES
– Contato da urina com o ar (frasco cuja tampa não esteja bem
vedada).
– Altas concentrações de acetona e creatinina.
– Uso de medicamentos como aspirina, L-dopa e ácido ascórbico.
 
INSTRUÇÕES
– Colher preferencialmente no laboratório a 1ª urina da manhã ou com
intervalo de 4 horas entre as micções.
– Fazer higiene da genitália com água e sabão, secar, desprezar o 1º jato de urina e
coletar o jato do meio.
– Para coletas realizadas em casa o cliente deve ser informado que o
prazo para entregar a urina no laboratório é de 1 hora em temperatura
ambiente.
– Utilizar frasco limpo e próprio para coleta de urina.
– O paciente não deve estar em uso de medicamentos como aspirina, L-
dopa e ácido ascórbico. Verificar com o médico se é possível suspender
a medicação por 3 dias antes da coleta. Caso não seja possível
informar o uso.
 
CONSERVAÇÃO (TRIAGEM)
– Até 2 horas em temperatura ambiente.
– Até 2 dias refrigerado entre 2 e 8 ºC.
 
COMENTÁRIOS (PRODUÇÃO)
-O ácido homogentísico é um intermediário no metabolismo da tirosina, sendo oxidado pela enzima ácido homogentísico oxidase. Na ausência dessa enzima o ácido homogentísico é acumulado no plasma e urina, ocasionando uma doença chamanda alcaptonúria (AKU), sendo que em condições não normais não pode ser detectado. A atividade da enzima ácido homogentisico oxidase hepática, no adulto normal, é suficiente para metabolizar mais de 1.600 gramas do ácido por dia. No entanto, nos portadores de AKU não há atividade detectável desta enzima no fígado ou tecido renal, ocorrendo à deposição do pigmento ocronótico em diversos tecidos. Tanto a forma polímera quanto a forma monomérica do ácido se ligam ao colágeno da cartilagem, pigmentando-a, assim como se depositam na pele, escleróticas, grandes articulações, tecidos fibrocartilaginosos e ligamentos determinando as manifestações clínicas da AKU. O pigmento pode aparecer no suor, nas regiões axilares, inguinais e perineais. A primeira manifestação que pode ser vista externamente é uma leve pigmentação das escleras e orelhas, começando entre os 20 e 30 anos de idade. As cartilagens das orelhas podem tornar-se azuladas ou acinzentadas, apresentando-se irregulares e espessadas. Em alguns casos se observa escurecimento dos tendões do dorso das mãos. Nos pacientes adultos as cartilagens costal, laríngea e traqueal aparecem fortemente pigmentadas. Em muitos pacientes, contudo, o pigmento ocronótico é pouco evidente.
 
 
 
 
 
 
 

Sinonímia

ACHOMOUP ; ACIDO HOMOGENTISICO PESQUISA ; ALCAPTONURIA

Informações Adicionais

Prazo de Entrega

10 Dias

Matarial

Urina Quantidade: 30 ml

Em que podemos te ajudar?