SAC62 3524-7000
62 98557-6105

Notícias

Aumenta número de fraturas em idosos que passeiam com cães

Publicado em : 24/03/2019

A longevidade é um presente, mas tem seus efeitos colaterais. No começo deste mês, um estudo publicado na revista “JAMA Surgery” mostrava que, entre 2004 e 2017, fraturas relacionadas a prosaicos passeios com cães haviam mais que dobrado entre pessoas acima de 65 anos. O lado bom da questão: não para de crescer o número de idosos que permanecem ativos – e sair com o cachorro para uma caminhada é ótimo exercício. O problema: não podemos perder de vista que o envelhecimento afeta nossa robustez e alguns cuidados devem ser observados para não nos arriscarmos.
A pesquisa foi realizada pela Penn Medicine, a escola de medicina da Universidade da Pennsylvania. No levantamento, que cobriu mais de 30 mil casos registrados em cerca de 100 hospitais, 78% das fraturas tinham ocorrido em mulheres. Esse é um ponto de atenção para a população feminina, que vive mais e, frequentemente, só. Para os pesquisadores, duas tendências estão espelhadas no estudo: além de os idosos estarem ativos, houve um incremento na disposição para ter um animal doméstico.
Metade das fraturas era em extremidades superiores, como dedos, pulso, braço e ombro. No entanto, 17% dos idosos fraturavam o quadril, um percentual expressivo e preocupante, por se tratar de uma lesão grave. Os estudiosos alertaram que os números computados – dos 1.671 casos em 2004 para 4.396 em 2017 – não refletem a realidade, porque boa parte das pessoas não chega a dar entrada em hospitais depois de um acidente desse tipo. Entretanto, podem haver sequelas que, se não forem tratadas, provocarão dor e limitação nos movimentos.
Eu mesma fui derrubada algumas vezes quando tinha uma adorável labradora chamada Nani, grande companhia que volta e meia causava acidentes domésticos. As duas piores experiências: quando caí de costas numa calçada, ao tentar frear seu ímpeto; e uma queda numa ladeira, com direito a joelhos ralados e uma luxação na mão. Meu amor pelos labradores continua o mesmo, mas em hipótese alguma me aventuraria a ter de novo um cachorro tão cheio de energia. Na lista de cuidados a serem observados, considere a necessidade de adestramento do seu animal; a escolha de raças de menor porte; a utilização de guias curtas, para que não haja o risco de se enrolarem em suas pernas; e o uso de calçados que garantam seu equilíbrio.
 
Fonte: g1.com.br
 

Notícias

Crianças e a Internet: quais as dicas?

25/03/2019

Nas últimas semanas, a boneca Momo aterrorizou crianças, pais, cuidadores e todos os que viram sua imagem e souberam o conteúdo de suas mensagens veiculadas pela internet.

Quando a mania de morder objetos pode virar problema?

21/03/2019

Para evitar que o problema se agrave, o ideal é fazer um tratamento multidisciplinar, com dentista, fisioterapeuta e psicólogo.

Incontinência urinária atinge 35% das mulheres com mais de 40 anos e após a menopausa

20/03/2019

Dados são da Sociedade Brasileira de Urologia. Cerca de 5% da população sofre de incontinência urinária.

Risco de prisão de ventre aumenta depois da menopausa

14/03/2019

Homens e mulheres devem ficar atentos a sinais de sangue nas fezes

Hantavírus: o que é a doença que já matou mais de 10 pessoas na Argentina

25/01/2019

Uma única festa de aniversário no sul da Argentina pode ter sido o ponto de partida para a morte e contágio de diversas pessoas por hantavirose.

Com chegada do Réveillon, alerta é festejar sem abusar do álcool

30/12/2018

Na festa da virada do ano, o lema deve ser comemorar, mas sem abusar do consumo de álcool, principalmente para quem for dirigir.

Licopeno: o antioxidante que ajuda a prevenir câncer e faz bem para o coração

12/12/2018

Tomate e melancia são alimentos ricos em licopeno.

Sintomas de depressão na infância e adolescência são mais variados

23/11/2018

Os sintomas podem se confundir com outros problemas.

Horário de verão: veja como se adaptar melhor às mudanças sentidas pelo corpo

03/11/2018

Alimentos como abacate e maracujá podem ajudar a regular o sono. Manter rotina é importante.

Apesar de raro, câncer de mama masculino também pode ser fatal

30/10/2018

De acordo com o Inca, 16.254 brasileiros morreram de câncer de mama em 2016, sendo 16.069 mulheres e apenas 185 homens. Doença pode ser prevenida com hábitos de vida saudáveis.