SAC62 3524-7000
62 98557-6105

Notícias

'Pensei que fosse doença da Idade Média': o novo avanço da sífilis no mundo - e no Brasil

Publicado em : 11/04/2018

Eu pensei que a sífilis era algo da Idade Média, que havia desaparecido e que não era algo que poderia ocorrer nos tempos modernos."
Quem diz isso é Gavin, jovem britânico que descobriu ter a doença ao realizar um teste caseiro para detectar infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).
Sem apresentar nenhum sintoma da doença, ele teve sorte ao identificá-la antes de sofrer consequências que poderiam ser muito graves.
O caso de Gavin serve de alerta para um aumento dos casos notificados de sífilis em diversos países do mundo, incluindo o Brasil.
Na Inglaterra, por exemplo, o número de casos da doença chegou ao maior nível desde 1949; nos EUA, dados de 2017 apontam que a sífilis avançou em todas as regiões e na maioria dos grupos etários.
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada ano, 5,6 milhões de pessoas contraem sífilis no mundo.
E é uma infecção que se propaga mais facilmente que outras ISTs, como gonorreia e clamídia.
No Brasil, a sífilis adquirida (ou seja, em adultos) teve aumento de 27,9% entre 2015 e 2016 (dados mais recentes disponíveis), segundo o Ministério da Saúde. Em 2016, foram registrados 87.593 mil casos em adultos. As infecções por sífilis congênita em bebês, passada de mãe para filho na gestação, cresceu 4,7%.
O ministério disse em 2017 que esses números são resultado de um desabastecimento da penicilina (medicamento mais efetivo contra a sífilis), mas também do aumento nos diagnósticos, por conta da distribuição de testes na rede pública de saúde.
 
Sintomas (ou ausência deles)
 
Em alguns casos, os sintomas da sífilis em adultos são:
- úlceras genitais
- erupções generalizadas na pele, ou na palma das mãos e plantas dos pés
- cansaço e dor de cabeça
- febre e dor nas articulações
 
O problema é que, diferentemente do que acontece com outras ISTs, uma pessoa pode estar infectada com sífilis e não apresentar nenhum sintoma. E, dessa forma, acaba contagiando outras pessoas inadvertidamente.
Foi o caso de Gavin, que descobriu a doença justamente na fase chamada sífilis secundária, que é a etapa mais contagiosa da doença.
A sífilis é provocada pela bactéria Treponema pallidum e transmitida sobretudo pela via sexual (pela lesão genital que causa), seja vaginal, anal ou oral.
É, também, transmitida de mãe para filhos durante a gravidez - e também a segunda maior causa de mortalidade entre recém-nascidos no mundo.
Para cumprir a meta da OMS de eliminar as mortes por sífilis congênita, o Brasil terá de reduzir a taxa atual de 6,8 casos por mil nascidos vivos para no máximo 0,5 por mil.
Isso seria factível no curto prazo "porque a sífilis é facilmente detectada e tratada. Tendo o teste rápido e tendo a penicilina, é possível alcançar a eliminação (da doença)", disse à Agência Brasil em 2017 Adele Benzaken, diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle de DSTs, HIV/Aids e Hepatites Virais do ministério.
 
Tabus e consequências
 

Mas, entre adultos, a doença ainda enfrenta tabus.

O tratamento consiste em antibiótico - penicilina benzatina para adultos e penicilina cristalina em bebês.

É crucial, porém, fazer o diagnóstico o mais cedo possível, uma vez que, sem tratamento, a infecção pode perdurar anos e causar problemas sérios de saúde a longo prazo, como derrames, sintomas de demência, perda de coordenação, cegueira e males cardíacos. E, ainda que a sífilis possa ser tratada nesse estágio posterior, os danos causados por ela podem ser irreversíveis.

Por fim, as úlceras genitais causadas pela sífilis são uma porta de entrada para o contágio também pelo vírus HIV, como foi o caso de Gavin.

 

Fonte: g1.com

 

Notícias

H1N1: devemos nos vacinar contra a gripe em 2018?

10/04/2018

“Vacina da gripe dá gripe? Precisa mesmo tomar a vacina? Já tomei no ano passado: tem que tomar de novo? Este vírus H3N2 é pior que o H1N1? ” 

Transtorno Obsessivo Compulsivo: como reconhecer os sinais?

07/04/2018

O diagnóstico não é difícil. Com observação e muita conversa fica fácil entender os sintomas.

Problema hormonal pode provocar a queda de cabelo

04/04/2018

A testosterona, hormônio masculino, é a principal causa de calvície. Estresse, amamentação, pós-cirurgias, deficiência de nutrientes, menopausa também podem provocar a queda de cabelo.

Os perigos para a saúde que moram no seu banheiro

31/03/2018

Desde germes em sabonetes e toalhas até riscos de acidentes, veja que precauções são indispensáveis nesse cômodo da casa.

Como se preparar para a temporada da gripe

22/03/2018

Entenda também o que é a bronquiectasia, uma doença que pode aparecer como consequência de infecções respiratórias graves.

Maioria dos pacientes com dor na lombar recebe tratamento errado, dizem estudos

21/03/2018

Condição afeta 540 milhões de pessoas em todo o mundo, concluem pesquisas publicadas no 'The Lancet'. A avaliação é de que medicamentos não deveriam ser a primeira opção.

Síndrome da Mão-Pé-Boca: o que é isso?

20/03/2018

O quadro geralmente tem início com febre, que pode ser alta. Algumas crianças chegam a apresentar mais de 39ºC de febre, o que certamente deixa os pais muito apreensivos. Essa febre pode durar de 2 a 3 dias. Importante observar que quando a febre cede, o estado geral das crianças é bom. Geralmente, elas conseguem brincar e ficam bem dispostas até a próxima elevação da temperatura.

8 dicas de saúde para mulheres

05/03/2018

Cuidados específicos ligados à higiene íntima, fertilidade e alimentação podem contribuir para desfrutar de dias mais saudáveis e tranquilos ao longo da vida.

Cardiopatia e anemia falciforme podem causar o AVC infantil

28/02/2018

A prevalência é de dois a oito casos para cada 100.000 crianças até 17 anos por ano, mas quando acontece costuma ser grave e deixar sequelas.

Qual é o seu tipo de fome?

26/02/2018

A fome é uma necessidade fisiológica de nutrientes e o corpo sinaliza a fome. O primeiro aviso vem do cérebro, seguido do estômago.